Contribuição Sindical 2017

Administrador você pode optar pelo recolhimento ao Sindicato dos Administradores do Município de Araraquara  simplesmente imprimindo a guia gerada no lInk abaixo, no valor de R$ 71,00, para Administrador e de R$ 44,00 para Tecnólogos independente de seu salário, e apresentar no Recursos Humanos (RH) ou escritório de contabilidade de sua empresa  juntamente com a declaração de opção, evitando assim descontos desnecessários e abusivos em sua folha de pagamento.

Guia de Recolhimento Sindical 2017

Gerar Guia Sindical – Administrador

Gerar Guia Sindical – Tecnólogo (Cursos de Gestão) 

Declaração de Opção

Fique tranquilo, caso não haja aceitação do RH de sua empresa ou geração de Guia errônea, as Guias geradas e não pagas serão automaticamente canceladas, não necessitando nenhuma comunicação ao Sindicato.

Contribuição Sindical

A Contribuição Sindical é um recolhimento anual, obrigatório e devido por todos os trabalhadores ou profissionais liberais, em favor do Sindicato representativo da classe (art.579 da CLT) ou de sua empresa, a Declaração de Opção (VER ANEXO) e uma cópia do boleto da contribuição, com a autenticação do pagamento bancário evitará o desconto de um dia do salário do profissional.

Bacharel – Valor: R$ 71,00

Tecnólogo – Valor: R$ 44,00

Vencimento: 08/03/2017*

Base Legal Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)

Art. 585. Os profissionais liberais poderão optar pelo pagamento da contribuição sindical unicamente à entidade sindical representativa da respectiva profissão, desde que a exerça, efetivamente, na firma ou empresa e como tal sejam nelas registrados. (Redação dada pela Lei nº 6.386, de 9.12.1976) (Vide Lei nº 11.648, de 2008)

Parágrafo único. Na hipótese referida neste artigo, à vista da manifestação do contribuinte e da exibição da prova de quitação da contribuição, dada por sindicato de profissionais liberais, o empregador deixará de efetuar, no salário do contribuinte, o desconto a que se refere o Art. 582. (Redação dada pela Lei nº 6.386, de 9.12.1976)

* Verifique com o RH de sua empresa a data limite para entrega da contribuição sindical, em alguns casos é necessário efetuar o pagamento antes do vencimento para que possa ser devidamente processada.

Após o vencimento,10% de multa nos 30 primeiro dias, a cada novo período de 30 dias, ou fração subsequente, a multa terá acréscimo de 2%;
Juros de mora sobre o valor principal, considerando o número de dias de atraso, aplicando-se o índice de 1% ao mês ou fração
** Uma vez paga a Guia o valor é diretamente direcionado pela Caixa a todo sistema sindical como explanado abaixo, não sendo possível ao Sindicato efetuar restituição, portanto antes de efetuar o pagamento certifique-se com sua empresa sobre a aceitação desta Guia.

A contribuição sindical será rateada em 60% para o Sindicato, 20% para o Ministério do Trabalho, 15% para a FENAD – Federação Nacional dos Administradores e 5% para a CNPL – Confederação Nacional das Profissões Liberais.

Pagamento

Conforme a atual Portaria 488 do MTE, publicada no DOU de 24/11/2005, foi aprovado novo modelo de Guia de Contribuição Sindical Urbana; e; em seu artigo 1º, parágrafo único; dispõe que a “GRCSU” é o único documento hábil para a quitação dos valores devidos a título de contribuição sindical:

Art. 1º – “Aprovar o modelo da Guia de Recolhimento de Contribuição Sindical Urbana (GRCSU) para empregadores, empregados, avulsos, profissionais liberais e agentes ou trabalhadores autônomos, bem como a instruções de preenchimento.
Parágrafo Único – A GRCSU é o único documento hábil para a quitação dos valores devidos a título de contribuição sindical urbana, sendo composta de duas vias: uma destinada ao contribuinte, para comprovação de regularidade de arrecadação e outra à entidade arrecadadora.”

Verifique com sua empresa antecipadamente a aceitação do recolhimento sindical ao Sindicato dos Administradores, mostrando a Guia preenchida pois não há possibilidades de devolução de valores recolhidos.

Anúncios

Curso de Perícia Judicial –

SEJA PERITO JUDICIAL

Curso Perícias Judiciais – edição Ribeirão Preto/SP

Curso atualizado segundo o NOVO Código de Processo Civil

 

Vagas limitadas! Registrados no SINDADM recebem 10% de desconto no curso!

 

Acontecerá em Ribeirão Preto, no final do mês de setembro, o Curso Perícias Judiciais. O curso proporciona aos participantes o conhecimento da prática, da burocracia e dos elementos técnicos para a realização da perícia judicial. É indicado para engenheiros, arquitetos, administradores, contadores, economistas, médicos e demais profissionais que queiram atuar como perito judicial ou assistente técnico junto ao Poder Judiciário e Ministério Público.

 

Dados do curso:

Data: 27 a 30 de setembro de 2016

Horário: 18h30 às 22h15

Local: SINCOVARP – Rua Lafaiete, 394 – Centro, Ribeirão Preto/SP

 

O curso oferece: Material Didático, Certificado de Participação, Suporte técnico e perfil no Cadastro Nacional de Peritos.

 

Conteúdo do curso:

Como vir a ser perito judicial; Quem pode ser perito judicial; Laudo – prova no processo; Nomeação; Adiantamento e honorários totais; Perícias extrajudiciais; Mercado de trabalho; Facilidades do encargo; O perito que está iniciando; Quesitos e assistentes técnicos; A assistência técnica ao Ministério Público; Roteiro do serviço, da nomeação ao término do trabalho e recebimento total dos honorários; O que são os assistentes técnicos das partes; O mercado de trabalho dos assistentes técnicos; Como proceder com as atividades de campo; Prazos dos peritos; Modelos de diversos tipos de petições; Casos práticos e Modelos de laudos.

 

 

GARANTA JÁ A SUA VAGA!

REALIZE SUA PRÉ-INSCRIÇÃO CLICANDO AQUI

 

 

Mais informações: 0800 600 3622 – (53) 3231- 3622

www.manualdepericias.com.br  ou fernanda@manualdepericias.com.br

 

Apoio:
apoio

Projeto Capacitarte – Inclusão no mercado de Trabalho

capaciarte-cursos

Graduados em Cursos de Gestão e Tecnologia também podem contribuir para o Sindicato dos Administradores

tecnologosOs graduados nos cursos de gestão, podem optar por contribuir para o Sindicatos dos Administradores, recolhendo apenas a Guia Sindical no valor de R$ 26,00 por ano, ficando assim dispensado do desconto em folha de um dia de salário e demais descontos sindicais.

Com o reconhecimento dos cursos de Gestão (tecnólogos) pelo Conselho Federal de Administração em sua Resolução Normativa nº 374 (disponível no site http://www.cfa.gov.br) como atividades inerentes a administração estendendo-se assim a possibilidade de registro profissional, estende-se também a possibilidade de recolhimento sindical a categoria profissional diferenciada como já era permitido aos bacharéis em administração.

Se você é formado em um dos cursos de tecnologia ou gestão reconhecidos pelo MEC, faça as contas se não é mais vantajoso efetuar o recolhimento para o Sindicato dos Administradores no valor de R$ 26,00 e evitar os descontos sindicais em sua folha de pagamento. Consulte também o RH de sua empresa sobre a aceitação do recolhimento sindical para categoria diferenciada, é seu direito de livre associação sindical.

Principais cursos de Tecnologia e Gestão:

Leia o resto deste post

Lista de atividades do profissional de administração

Saiba quais as atividades são inerentes ao profissional de administração, administrador ou gestor.

Segundo lista expedida pelo Conselho Regional de Administração de São Paulo, segue abaixo todas as atividades ligadas a administração, na qual seu profissional é considerado administrador, podendo efetuar sua opção de filiação ao Sindicato dos Administradores, utilizando-se de seus benefícios e vantagens.

Contudo salientamos que antes de efetuar o recolhimento do imposto sindical ao Sindicato dos Administradores, consulte o RH de sua empresa.

Leia o resto deste post

Nova Tabela de Honorários para atividades do Administrador

Segundo orientação da Federação Nacional  dos Administradores (FENAD),  aprovada em Assembléia Geral Ordinária de 09.05.2014 em São Paulo / SP foi aprovada a correção dos valores da Tabela de Honorários para atividades do Administrador, que teve os reajustes inflacionários segundo o IPCA.

Clique aqui para visualizar a nova tabela de honorários do Administrador

Saiba como administrar melhor seu tempo no trabalho

Um dos métodos mais conhecidos para otimizar o tempo é o Pomodoro, criado pelo italiano Francesco Cirillo na década de 80

Sabe aquela sensação de que o tempo deveria ter mais de 24 horas? Se você faz parte do grupo de pessoas que possuem essa opinião talvez seja a hora de mudar sua rotina e otimizar o seu tempo de trabalho

“Temos pouco tempo para fazer muito e tempo demais para não fazer nada”. Essa frase do H. Katchadourian resume bem a situação vivida pela maioria das pessoas. Constantemente novas tarefas são iniciadas sem concluir as anteriores e ao final do dia fica a sensação de que o tempo passou muito rápido e não foi possível fazer nada.

O presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Sebastião Mello diz que é necessário fazer um planejamento das tarefas que serão realizadas no dia para que, com isso, o tempo seja melhor aproveitado. “O simples fato de ficar checando o tempo todo a caixa de e-mail, já tira completamente o nosso foco para o trabalho. No e-mail recebemos muita propaganda e spam, com isso perdemos muito tempo deletando esse tipo de conteúdo”, disse.

Um dos métodos mais conhecidos para otimizar o tempo é o Pomodoro, criado pelo italiano Francesco Cirillo na década de 80. Ele consiste em dividir as atividades em tarefas (pomodoros) a serem executadas em 25 minutos de total concentração e descanso de 5 minutos entre cada tarefa desenvolvida. Caso haja alguma interrupção durante um “pomodoro”, o processo de contagem deve ser reiniciado.

Um estudo da Universidade de Yale, nos Estados Unidos revela que a cada interrupção, uma pessoa leva em média 11 minutos para retomar a sua concentração. Sebastião Mello afirma que o importante é manter a organização, “anotar as atividades da semana em uma agenda é uma ótima forma de gerenciar a quantidade de tarefas que podem ser desenvolvidas em um dia”, ensina.

“Caso a agenda não faça o seu estilo, existem vários aplicativos para celulares e computadores que possuem essa função” lembra o presidente. Um dos aplicativos mais utilizados para organizar tarefas e lembretes é o Evernote, o conteúdo pode ser acessado pelo Iphone, Ipad, Android ou pela web. O aplicativo brasileiro Neotriad, além de fazer a listagem das tarefas, é possível determinar o tempo dedicado a cada uma delas.

Por Redação Administradores

Quer ser trainee? Saiba se você tem o perfil

Não basta formação acadêmica e fluência no inglês; as empresas querem profissionais com visão macro, capazes de administrar a própria carreira

Gerir a própria carreira, ter visão macro, espírito de liderança e iniciativa. Essas são apenas algumas das características procuradas nos candidatos a vagas de trainees, jovens recém-formados em início de carreira que serão responsáveis por dirigir a organização.

A preocupação com a sucessão levou as empresas, em sua maioria de grande porte, a aumentarem significativamente os programas de trainee nos últimos dois anos. E elas pagam bem: em média, um trainee recebe R$ 4 mil por mês e tem os mesmos direitos que os outros colaboradores da companhia, garantidos pela legislação trabalhista.

Mas conquistar uma vaga para o cargo no mercado de trabalho não é tarefa fácil. As empresas costumam receber em média 30 mil inscrições para os programas de trainees em seus sites corporativos. A concorrência requer dos candidatos uma boa formação universitária e cultural. Geralmente, os processos seletivos para as vagas incluem testes de raciocínio-lógico, inglês e conhecimentos gerais.

Após essa etapa, os trainees costumam passar por dinâmicas de grupos, apresentações pessoais e entrevistas com gestores. Nem todas as empresas exigem experiência para o cargo, mas é necessário estar preparado para enfrentar essa maratona de seleção. Jovens formados em Administração, Economia, Engenharia e Comunicação são os mais buscados pelas organizações que contratam trainees para preparar futuros dirigentes.

“São empresas que preferem formar internamente esses jovens, dentro da sua cultura e valores, garantindo que esses princípios sejam preservados. Além disso, garantem um maior acerto nos processos de preenchimento de cargos vagos, pois conhecem bem o candidato interno, que já está adaptado a sua cultura e já conhecem seus processos”, afirma Gilberto Lara, diretor corporativo de Desenvolvimento Humano e Organizacional do Grupo Votorantim.

Segundo ele, um trainee deve ter visão crítica e global, excelentes conhecimentos de idiomas, espírito de grupo, liderança e ambição saudável: “Desde o primeiro dia de trabalho, ele deve tomar sua carreira nas próprias mãos. Deve buscar se desenvolver técnica e comportamentalmente, aceitar e buscar feedback, buscar projetos com alto grau de desafio e de exposição.”

A coordenadora de seleção Caroline Cobiak, da consultoria de desenvolvimento organizacional Across, explica que apesar de os trainees terem a possibilidade de conhecer todas as áreas da empresa, eles são contratados para realizar tarefas definidas. Segundo ela, ao final do programa, nem sempre os trainees assumirão um cargo de gerência. Isso porque, para ocupar tal posto, eles precisam ter maturidade. E, em muitos casos, os trainees não alcançam o amadurecimento necessário para mudar de cargo ao final de um programa. “Cabe ao trainee buscar coisas novas. O profissional que tem uma visão macro da empresa deve propor projetos. Ele não pode esperar feedback. O trainee é o responsável pela sua carreira. Ele deve estabelecer parcerias, construir seu network, aprimorar-se”, ressalta a coordenadora de seleção.

Ela destaca que para assumir cargos de responsabilidade na organização, o trainee tem de estar preparado para lidar com situações adversas e deve propor soluções. “Ele deve ser pró-ativo, saber transmitir suas ideias, definir prioridades, ter capacidade analítica”, observa.

Por Rômulo MartinsEmpregos.com.br

Que tal intensificar seu networking? Veja algumas dicas sobre como aperfeiçoar sua rede de relacionamentos

Se por algum motivo, você recebesse hoje, a notícia de seu desligamento da empresa onde trabalha, o que faria? Recebi a ligação de um amigo, que por mudanças organizacionais, foi demitido da empresa onde trabalhou durante 5 anos. Fiquei feliz, pois o objetivo do contato comigo, era para eu fazer a ponte, com outro empresário que conheço, para entregar seu currículo. Note que a construção de uma rede de contatos, pode ser útil em vários momentos e de vital importância para pessoas que desejam manter-se em constante crescimento. Um relacionamento com a pessoa certa, além de abreviar caminhos, estabelece uma relação de amizade. Se você não gosta de pedir ajuda, supere isto demonstrando cuidado e carinho com aquelas pessoas com quem fala habitualmente. Observe a seguir, como aperfeiçoar sua rede de relacionamentos.

Cinco dicas para aumentar seu networking

A primeira dica é a participação em feiras, congressos, palestras e eventos relacionados à sua área de atuação. Seu cartão de visitas precisa chegar até a mão de pessoas certas, que tenham atuação no seu segmento. O objetivo maior com esta atividade não é juntar a maior quantidade possível de contatos, e sim conhecer pessoas que você possa auxiliar e possam ajudá-lo futuramente.

A segunda dica está relacionada com a aplicabilidade do uso da empatia, percebendo que o tempo é algo valioso, tanto para você, como para seus contatos.

A terceira é o compromisso de realizar o que prometeu, lembrando que o discurso, pode ser apenas palavras soltas ao vento, mas, sua ação será um importante ingrediente para mostrar e intensificar suas competências.

A quarta dica é o respeito e a compreensão de que, as pessoas são diferentes na sua maneira de pensar, agir e falar.

A quinta dica é a manutenção do seu networking. Não adianta dispor de uma agenda lotada, se os contatos são improdutivos. Faça uma avaliação e responda: Há quanto tempo você não faz contato para algumas pessoas que estão presentes na agenda, e que, seriam interessantes para melhorar seu networking?

Um cuidado a ser observado é com a internet e as redes sociais. Elas podem transmitir a sensação de informalidade, exigindo coerência ao adicionar pessoas na sua rede de contato, prezando pelo bom senso e ética. Ambas, no ambiente profissional, funcionam de maneira positiva para a compreensão da diferença existente entre a liberdade e a libertinagem. Um segredo interessante é lembrar que a qualidade é o que conta, não a quantidade, por isso, o respeito com sua base de contatos é essencial ao enviar mensagens improdutivas, sem fundamentação e principalmente que possa gerar algum desvio da sua conduta.

Um bom networking oferece expansão de sua rede de contatos, com o propósito de acreditar, que não se conhece todo mundo, mas é preciso conhecer alguém que nos leve a conhecer todo mundo. Na área comercial, por exemplo, um vendedor pode tentar inúmeras vezes, visitar um cliente sem conseguir vender absolutamente nada. Entretanto, se dispor de um bom networking, algum contato pode contribuir nas suas argumentações comerciais. Com relação ao meu amigo? Bingo! Conquistou o emprego e atualmente é gerente de vendas de uma importante concessionária de veículos. Que tal começar agora a revisar seus contatos e intensificar seu networking. Vamos tentar?

Dalmir Sant’Anna – palestrante comportamental, mestrando em Administração de Empresas, autor dos livros “Oportunidades” e “Menos pode ser Mais” (www.dalmir.com.br).

Como implantar um programa de inovação na sua empresa

As organizações investem no desenvolvimento de uma cultura interna aberta às mudanças na esperança de, com o tempo, inserirem uma postura voltada para a inovação de forma contínua.

Concursos de ideias têm se tornado populares nas empresas. Uma evolução das antigas ‘caixinhas de sugestões’ nas quais os funcionários davam idéias para melhorar operações, processos e produtos da empresa, estes concursos partem do pressuposto de que o próprio colaborador é a melhor pessoa para identificar oportunidades de melhoria e de mudanças positivas para a organização.

Nestes concursos, executivos da empresa avaliam ideias que são propostas por funcionários de qualquer área, unidade de negócio, departamento, cargo ou localidade, individualmente ou em equipes. As melhores recebem um prêmio, que pode ser uma viagem, um jantar, um bônus em dinheiro ou qualquer outra forma de benefício.

Este tipo de inovação é diferente das inovações técnicas, em produtos ou processos diretamente relacionados com o negócio, que requerem anos de especialização e são conduzidas por áreas específicas dentro das empresas, conhecidas como laboratórios técnicos ou de Pesquisa e Desenvolvimento. Estas inovações tecnológicas dificilmente podem ser originadas pelos funcionários de forma abrangente por exigirem um profundo grau de conhecimento que está, invariavelmente, nas mãos de engenheiros, cientistas e outros especialistas técnicos.

A inovação corporativa, por outro lado, é caracterizada por mudanças incrementais de melhoria com baixo ou médio impacto no negócio e com abrangência para todos os funcionários. As organizações investem no desenvolvimento de uma cultura interna aberta às mudanças na esperança de, com o tempo, inserirem uma postura voltada para a inovação de forma contínua no DNA organizacional, permeando todos os funcionários indistintamente. Assim, a capacidade de promover mudanças significativas para reduzir custos, melhorar a imagem, aumentar a satisfação do cliente, assim como nos produtos ou processos de negócio, precisam estar ao alcance de todos os funcionários.

A maioria das iniciativas corporativas voltadas para este fim se limita aos já conhecidos programas de ideias. A seguir, passo algumas dicas de como incrementar estes programas para que não fiquem apenas na premiação das melhores ideias, mas que se tornem parte de uma cultura organizacional voltada para a inovação como competência organizacional:

1) O ‘dono’ da ideia. De alguma forma é preciso desmistificar a propriedade da ideia. Quem tem o primeiro lampejo da ideia, o insight, a inspiração, não necessariamente é a mesma pessoa que a desenvolverá de forma estruturada em termos de ações para implantá-la, caracterização da oportunidade, levantamento dos recursos necessários, antecipação dos riscos, mensuração dos benefícios e formação da equipe. Tampouco é a mesma pessoa que vai efetivamente transformá-la em realidade, executar o plano e fazer a ideia acontecer efetivamente. A não ser que a pessoa que concebeu a ideia, tenha a intenção e as competências para estruturá-la e implantá-la, ela deverá abrir mão da ‘propriedade’ para que, de forma cooperativa, outras pessoas com as competências necessárias possam trazer seu grau de contribuição para fazer acontecer. Quando isso não acontece, as ideias acabam morrendo onde nasceram. Quanto maior o grau de complexidade, maior a chance de fracasso advindo deste ‘medo que roubem a ideia e sua autoria’ por parte do funcionário que originalmente a concebeu.

2) A figura do padrinho. Para projetos de certo grau de complexidade, com o envolvimento de várias áreas, prazos longos de implantação, orçamentos robustos ou especificidades técnicas, geralmente é necessário um apoiador com bom trâmite na organização que tenha poder para tirar algumas ‘pedras’ do caminho do funcionário como barreiras burocráticas, interação inter-departamental, apoios institucionais, vontade política, etc. Estas limitações são superadas mais facilmente com a influência positiva de líderes engajados na idéia e dispostos a compartilhar os riscos do projeto.

3) Sistema de gestão. É importante que, na medida em que a cultura se espalha pela organização, exista uma boa ferramenta que faça a gestão das idéias em curso, nos seus diversos estágios de maturidade e facilite o controle e a interação das pessoas na formação de equipes, no trabalho colaborativo e na identificação de outras possibilidades. Estes sistemas são abertos, normalmente disponibilizados pelo portal do funcionário na intranet corporativa, unificam idéias inseridas e aceitam contribuições de qualquer pessoa dentro da empresa até mesmo ajudando a desmistificar a ‘paternidade ou o dono da idéia’, conforme foi mencionado anteriormente.

4) Fluxo contínuo institucionalizado. O processo deve funcionar mais ou menos da seguinte forma: Primeiro, o funcionário tem uma idéia e a submete a um comitê que fará a primeira avaliação e triagem. Idéias que demonstrem alto potencial de retorno significativo passam para uma segunda etapa em que o funcionário recebe ajuda para montar uma equipe e estruturar sua idéia na forma de um projeto. Estes projetos são avaliados por um comitê executivo que pode ou não dar o aval para que o projeto seja implantado. A partir daí, este projeto é formalizado, incorporado à estratégia do negócio, recebe um orçamento, metas e o apoio de uma equipe de consultoria interna para tudo o que precisar para fazer sua idéia acontecer. O ciclo se encerra quando a equipe colhe os primeiros resultados decorrentes do projeto.

5) Treinamento e capacitação. Nenhum funcionário detém todo o conhecimento, habilidades e competências para realizar sua idéia. Uma considerável parte de suas necessidades pode e deve ser suprida a partir de um intenso programa de capacitação, um investimento necessário não só para aumentar as chances de efetivação do projeto como um instrumento de retenção de talentos com perfil empreendedor.

6) Estrutura de apoio e suporte. Nem toda a formação requerida pode ser obtida através de programas formais de treinamento e desenvolvimento. Muito do aprendizado destes empreendedores corporativos são obtidos na prática, durante o andamento de seu primeiro projeto. Um ‘escritório de projetos’ que ajude o funcionário a acompanhar o andamento do projeto e fazer uma boa gestão de prazos, orçamentos, pessoas e ações é fundamental para aumentar as chances de sucesso do projeto. Igualmente uma estrutura paralela, formada por profissionais de diversas áreas de staff da organização, como RH, Financeiro, contabilidade, operações, marketing, etc, deve ser montada para dar consultoria e assessoria nas diversas fases do projeto, até mesmo para ajudar o funcionário a conhecer melhor a empresa e seu negócio.

7) Modelo de recompensa. Embora a premiação às melhores idéias e resultados seja importante, não pode ser a única forma de recompensa aos funcionários. Em primeiro lugar, a premiação ou qualquer outra forma de recompensa deve ser extensiva a todos os membros da equipe, não importando em que momento eles participaram. Um erro comum é premiar apenas aqueles que implantaram a idéia, esquecendo quem participou antes, na concepção da idéia. Outro ponto importante é compartilhar os resultados diretos do projeto de melhoria ou inovação para toda a equipe, de forma proporcional à contribuição e envolvimento de cada um no projeto, previamente estabelecida. Normalmente esta prática se aplica a resultados mensuráveis, como aumento de receita ou redução de custos.

Outras medidas podem ser aplicadas dentro das circunstâncias de cada tipo de negócio, de acordo com o porte e práticas já institucionalizadas.

Estas medidas não substituem a festa da premiação das melhores idéias. Ainda é importante manter a competição como forma de endomarketing, em um processo contínuo de incentivo aos funcionários. Estas sugestões são para empresas que já possuem a prática da competição de idéias institucionalizada e precisam avançar para o próximo passo no caminho em direção da sedimentação de uma cultura interna voltada para a inovação em todos os âmbitos da organização.

Por Marcos Hashimoto

%d blogueiros gostam disto: